Um bom começo

Publicado em Categorias Conversinha

foco

Ao invés de tentar, forçosamente, fazer a peça cair bem no corpo vale pensar na roupa que funciona bem na silhueta. Um corpo curvilíneo e voluptuoso pede por peças que acompanhem essas linhas; já um corpo seco carece de formas com linhas contidas em sua essência. A ilusão de criar curvas, agregar peso visual, disfarçar peso extra ou seja lá o que for vale pelos detalhes da modelagem, pelo uso de cores ou mesmo pela aplicação de acessórios; é uma mistura regulada pela base e estrutura da roupa que é onde tudo começa em um visual. Errar já de cara não é uma boa, hein…

Então antes de acompanhar cegamente uma tendência pense em estudar o que fundamente aquele visual, imaginando seu corpo que deve estar em sintonia com o que será usado para cobrir sua nudez.

2 pensamentos em “Um bom começo”

  1. Oi Amanda, talvez você tenha mesmo razão. De repente vale mais apena esperar um pouco mais até encontrar um modelo que em primeiro lugar dê conta de vestir sem deformar. Não se força a natureza das peças, muito menos dos corpos.

  2. realmente… nem tudo o que é moda serve para vc, cada um tem um corpo e não é tudo que combina e fica legal em todos os corpos.
    e existem tendencias que eu falava errrr nunca vou usar, e acabei pagando a lingua, usei e gostei… isso tbm acontece.
    O mais importante é ter seu proprio estilo e não cair no ridículo.
    bjos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *