Do que você acha que precisa para se vestir bem, de mais roupas?

Quando você abre o armário e não sabe o que usar, qual a primeira coisa que vem à sua mente? Para muitas mulheres, é: “preciso comprar algumas roupas”.

Errado.

Você não precisa comprar roupa. Você precisa de um olhar mais criativo. 

Armários cheios e mulheres insatisfeitas, o que explica?

Desde que comecei a atuar como consultora de estilo, mais de 10 anos atrás, já me deparei com dezenas e dezenas de armários lotados, com muitas possibilidades e mulheres insatisfeitas.

Quantidade, volume de roupas, novas compras, não são garantia de confiança ou eficiência no ato diário do vestir.

O que vem como solução para a dor de cabeça e a demora na hora de montar looks ou realizar escolhas de roupas – aquelas mais banais, do dia a dia – é a otimização do guarda-roupa. Ou seja, retirar o que sobra ou está em exagero (e esconde as boas possibilidades); organizar o que fica de maneira inteligente (facilitando a rotina) e, por fim, misturar o que há ali, de forma interessante e criativa.

A fórmula da otimização:anote

  • Retirar o que está sobrando no guarda-roupa (em exagero), velho (em mau estado de conservação), ou não combina mais com você – seja sincera;
  • Organizar o que fica de maneira inteligente e eficiente – bagunça é uma droga;
  • Analisar se é o caso de pontuais aquisições, para potencializar looks – compras estratégicas e planejadas;
  • Misturar/combinar as peças de maneira criativa, em looks que sejam compatíveis à sua rotina – trabalho, vida social, momento em casa, ou vida do lar (registrar, para ter um referência).
como multiplicar os looks do seu guarda-roupa

Compras e mais roupas são sempre a solução?

As compras de novas peças podem ser a solução emocional mais rápida e simplista para um incômodo em frente ao guarda-roupa. Afinal, é só correr ao shopping (ou acessar alguma loja online) e adquirir algumas coisinhas.

Porém, o peso que essa atitude quase que impensada gera, não é apenas financeiro. Ele é, também, interno/íntimo. Porque não resolve o problema em questão. E não vai no centro da dor diária, da infelicidade, da dúvida, da demora… só acrescenta mais possibilidades aleatórias de roupas que, no final do dia, nem sempre facilitam a rotina.

Mas é claro que, em alguns casos, algumas peças de ligação podem (e devem) ser adquiridas. Estes são os elementos que entram para potencializar a multiplicação do looks. Falo de, quase sempre, escolhas básicas, ou neutras, que ajudam a deixar o armário mais versátil, sabe? Só que, até mesmo tal, deve estar de acordo com o que você precisa!

O que fazer para vestir com mais eficiência?

O olhar externo e especializado no guarda-roupa lotado, ou mesmo naquele com poucas peças (mas que não funciona) ajuda a dar um norte ao que deve ser feito.

É um plano de ação.

A começar por uma mudança direta, ou instantânea, com a montagem de composições que podem ser utilizadas desde o dado momento. Sem demora.

Isso é o que anima e inspira: ver como funciona o guarda-roupa otimizado e poder curti-lo, sem demora.

Há um serviço? Como ele funciona?

O processo da consultoria de estilo para otimização de guarda-roupa funciona em 4 etapas.

  1. Avaliação do estilo/perfil da cliente, mediante questionário;
  2. Encontro prático para montagem de looks;
  3. Indicação de aquisições (peças de conexão);
  4. Conclusão, com análise dos resultados obtidos e indicação de exercícios práticos, além da entrega dos registros – fotos.

É um processo, na teoria, simples, mas que traz incríveis resultados. 

O serviço? No encontro presencial são 2h horinhas. E, no MÍNIMO, 20 looks!! \”/. Por vezes, chegamos a montar 50 looks.

Seu guarda-roupa não precisa ser um problema. E, muito menos, você não é o problema – nem seu corpo, nem o quanto você pode investir em roupas. O que falta, talvez, é um olhar mais apurado e criativo. Além de fórmulas para sair da zona do conforto. E colocar, em prática, escolhas que combinem com a sua vida real, de hoje, com looks bacanas que te deixem feliz em frente ao guarda-roupa.

Mais do que nunca, vestir não precisa ser tão complicado.

O que lhe incomoda na sua relação com as roupas e guarda-roupa? Me conte no amanda@amandamedeiros.com.

Solução para gavetas desorganizadas

Não há boa seleção de peças que resista ao danos da bagunça. Quando nossas coisas estão acumuladas e avacalhadas acabamos repetindo sempre as mesmas peças, esquecemos itens importantes e nos perdemos entre roupas e complementos amassados e embolados.

gavetas1

Mesmo quando temos pouco, ou o suficiente, pode ser difícil deixar tudo alinhado e bem dividido. Principalmente quanto as peças são pequenas e delicadas – como lingeries e meias. Mas, nem tudo está perdido. Organizadores ou divisórias de gavetas surgem como boa saída para resolver, de vez, o problema. 

gavetas2

Existem vários sites que disponibilizam tais divisórias de gavetas – em inúmeras versões, tamanhos, e estilos (veja aqui!). Mas, é possível até mesmo fazer uma versão caseira, em papel rígido. Seja qual for a saída, dá para melhorar a organização dividindo as peças – também – em cores, estilos e funções. Com pouco tempo, a regra de divisão acaba sendo assimilada e tanto o aproveitamento de tudo o que se tem, quando a posterior arrumação, transformam-se em parte natural da rotina.

 

Organização de guarda-roupa: sobe e desce

Organizar o guarda-roupa por estações facilita a vida, principalmente para quem vive em espaços pequenos e não muito bem distribuídos (com guarda-roupas nada funcionais). A ação requer certa dedicação, em alguns momentos pontuais do ano, mas gera resultados bem legais. Os motivos podem ser os mais variados – não interprete, por favor, estações apenas como estações do ano. A vida é feita de fases. Como aquelas caracterizadas por uma gestação, uma viagem longa, cirurgia plástica ou qualquer mudança na rotina que peça que certas roupas fiquem em segundo plano. Mas e aí, como lidar?

Closet grande como os de novela, filme ou série? Sabemos que a vida real é bem diferente…

O sobe e desde pode acontecer duas vezes ao ano (menos ou mais). Vai depender da sua rotina, das suas necessidades. A ideia é armazenar aquilo que não está em uso no momento e ter espaço para visualizar o que você tem, e usa. Isso, no entanto, não pode servir como desculpa para fazer mais compras… e lotar de novo o pequeno guarda-roupa… trapacear não vale…

Separar

Faça uma boa arrumação no guarda-roupa e aproveite o momento para selecionar o que fica e o que sai, temporariamente. Deixe as peças mais básicas, de uso recorrente, ao alcance e em destaque. Depois, separe sem dó tudo o que estiver em ótimo estado de conservação, mas que não vá entrar na rua rotina de uso no futuro próximo. Pense naqueles vestidos de festa chiquerrímos, sapatos com saltos finíssimos, casacos de frio, botas de cano longo, peças temáticas, ou seja, tudo aquilo que você só vai aproveitar em outra hora… talvez roupas de praia, ou, em casos específicos, as peças que ficaram momentaneamente pequenas (por uma gestação).

Tudo isso porque ter que encarar peças, por hora, inúteis, todos os dias, é algo muito cansativo e que dificulta o ato do vestir quando não há espaço suficiente para trabalhar com o que se tem. E o momento se faz, claro, superoportuno para um bom desapego. O que não cabe, não combina, não serve ou não vai ser útil (nem hoje, nem no futuro) pode ser doado ou vendido – como for melhor.

Como guardar

As roupas separadas podem ir para o maleiro, por exemplo. Em caixas, claro. Caixas de papelão não são uma boa ideia. Mesmo em locais fechados, bem cuidados, umidade e outros fatores geram um ambiente propício para mofo ou mal cheiro. No caso de tecidos finos e delicados, principalmente, todo cuidado é pouco! Importante manter as roupas em caixas plásticas ou mesmo dentro de sacos limpos. Claro que é um gasto extra, mas o retorno é bom. Essas caixas podem ser encontradas em lojas de produtos para casa ou material de construção.

E aí?!

O momento de voltar com as peças para o guarda-roupa pede remanejamento de lugares e reorganização o geral. Ou então é possível etiquetar as caixas e só abrir, pegar o que quer (aquele vestido longo, ou o casaco pesado para uma viagem específica) e vida que segue. Antes de suar, para roupas de festa vale uma boa lavagem na lavanderia e, no caso de casacos, um mínimo de cuidado para tirar o pó ou mal cheiro.

O guarda-roupa não precisa estar sempre 100% disponível, oferecendo tudo o que ele possui. Tudo isso por um dia-a-dia mais fácil, com poucas e boas roupas.

Post publicado, originalmente, em 29 de maio de 2011