Porque ser só It não basta…

Publicado em Categorias Amenidades, Conversinha

Super It Girl a Maria Antonieta. Alguém duvida?!


Vivemos o tempo do ‘it’. It girls, it bags, it blogs… são referências adoradas por muitos que encontram nessas pessoas, lugares ou coisas um interesse comum dentro de determinado grupo. No entanto, entrar na dança de querer ser (ou ter) esse adjetivo no seu universo requer cuidado para que a jogada não dê errado.

Não basta ter itens ou roupas consideradas itens de desejo – é preciso incorporar o estilo, e atitude, para conquistar o respeito e a admiração desejada… aquela digna de uma it girl, por exemplo. Uma Chanel 2.55 pode sim fazer vista, mas você vai passar despercebida se sua confiança e elegância não caminharem junto com o poder da bolsa. Dentro do seu estilo, dentro das suas vontades e dos seus gostos, se faz necessário crescer de forma despojada… vide Vic Ceridono, do Dia de Beauté. Por que ela é considerada uma it girl?! Porque nela não existem rastros de ‘nojentice’… ela solta uma imagem real e possível (nada de artificial) e uma confiança natural, tanto na forma de falar quanto na forma de agir. Combina com ela.

Não queira ser uma cópia de it girl. O que faz de alguém um símbolo ou ícone é a capacidade de moldar sua imagem dentro das suas vontades. Cópias, até mesmo as bem feitas, são meras reproduções que acabam como toscas e nada bem estruturadas. Caso aconteça de você se transformar numa it girl será porque você, dentro do seu jeito, atraiu muitos olhares e passou a servir de inspiração para as pessoas que admiram um conjunto (imagem/atitude/profissão) como o seu.

Não se sinta obrigada a ser uma ir girl. O mundo é feito de pessoas diferentes, cada uma com suas qualidades. Nem todo mundo precisa ser it, ou ser nerd, ou rica, ou ‘chefe’ para encontrar seu lugar ao sol. Tudo bem em ser você, numa versão feliz daquilo que você quer ser… seguindo suas ambições. Não se trata de aceitação mas sim de auto-conhecimento onde você descobre que, talvez, a sua felicidade está em se sentir bem com sua imagem e com sua personalidade sem se preocupar em estampar um falso rótulo em busca de sucesso, fama, coisas do tipo. Novamente, tudo de bom (ou ruim) que vêm é consequência.

Ser só it simplesmente não basta. É preciso ser alguém que pelo que faz ou como faz é admirado. Nisso você não necessariamente será uma it girl, cheia de it coisas… talvez você seja a figura da mulher moderna que alia trabalho à família, ou talvez seja a mulher independente que se vira sozinha com todos os problemas que aparecem pela frente. Existem inúmeras personas que nem sempre são it, mas são reconhecidas, respeitadas, admiradas (ou não) por serem quem querem ser. São médicas, donas de casa, engenheiras, professoras… ah, já deu pra entender né.

Enfim. O que eu quero dizer é que ser só it, não basta. Até mesmo porque quem se transformou em it conseguiu isso provavelmente sem grande planejamento, focando no trabalho ou mesmo em outras coisas que auxiliaram na “conquista” desse título. Faça suas coisas bem feitas, com carinho e boa vontade que a recompensa um dia aparece.

8 pensamentos em “Porque ser só It não basta…”

  1. adorei o post.

    Vc pode ser muito considerado sem ser It Girl e mesmo assim ter uma fama positiva muito grande em decorrencia de outras coisas

  2. Adoro seu blog Amanda. Você parece uma psicóloga amiga que entende tudo sobre roupas e ainda é coração aberto para passar pra frente todo seu conhecimento. Seu sucesso é merecidíssimo Amanda. Sou leitora nova e já fã do seu trabalho. Que volte tudo em dobro pra você.

  3. Bem bacana este post. Essa coisa de se sentir bem na própria pele… às vezes a gente sofre um pouquinho até encontrar o ponto de equilíbrio, mas, uma vez lá, é a coerência entre o exterior e o interior que faz de nós pessoas mais bonitas… parabéns mais uma vez, Amanda!

  4. É por isso que eu faço questão de passar aqui todos os dias! Porque vc é super inspiradora, com tanta serenidade e bom senso! Nada mais elegante do que gente que pensa e sabe estabelecer o que é importante na vida, né! Claro que é legal ter referências sobre estilo e tals, mas a gente não pode perder o foco do que realmente faz sentido nessa vida, né?

  5. Nossa, AMEI! É super esse o espírito da coisa! Como " estudiosa" do tema (heheheeh), eu sempre digo que o que determina uma it girl é o carisma. E carisma é uma coisa que não se define por bolsas, joias, viagens nem mesmo estilo… é uma coisa inexplicável que já nasce com a pessoa!
    Parabéns pelo texto!
    bjão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *