Pode vir, 2017. E que seja leve

Quando foi a última vez que você teve a oportunidade de recomeçar? Não sabe? Pois lembre-se que cada novo dia, cada novo momento, é sim um recomeço. Por mais que não encaremos as coisas assim.

Ciclos podem ser percebidos de maneira bem particular. Alguns medem por semanas, outros semestres, e, indiscutivelmente, a grande parte encara a troca de ano como uma nova etapa que se inicia. E é. Talvez a virada de ano seja o mais forte dos ciclos. Como uma nova idade, mas coletiva.

É a celebração e a reflexão que vem com o ano novo que gera a sensação de que é possível deixar tudo de ruim para trás e lançar novos desafios. Acreditar em portas que vão se abrir. Ter para si como possível até os mais loucos sonhos.

Seja com comemoração, ou uma celebração introspectiva, é forte a vontade de que tudo venha da melhor maneira. Tudo bem, eu sei, pode ser que o ano que se encerra (aquele que muitos nem querem mais dizer o nome) não tenha sido nada bom. E foi pesado. Mas, aprendemos muito com ele. Temos que ver assim. E as coisinhas boas não podem ser ocultadas pelo peso do que machucou. Seríamos nós quem somos hoje se não tivéssemos enfrentado problemas?

De coração aberto

Por aqui, vou me preparando para o ano de 2017 com o coração aberto. E com otimismo. Sim. Como diz Ronaldo Fraga, otimista só de raiva. Ou melhor, por pura insistência. Venho acalmando a alma e o coração para jogar fora as mágoas. A dor. E a chateação que passou. E guardando com muita alegria os bons momentos. As conquistas. As pequenas coisas que a gente nem mesmo espalha, mas celebra em silêncio.

Vou fazer uma lista. Mais uma vez. Traçar metas, das mais simples as mais ambiciosas. Vou, ainda, me reconectar comigo mesma. Com minha essência. Para que eu me livre da dor que eu possa ter causado ou sofrido.

E para vocês, desejo paz e serenidade. E que possamos ter um 2017 com menos consumismo. Com mais paciência. E confiança no que somos. Na nossa beleza, no nosso poder, na nossa força interior. Que não precisemos gastar para encontrar a felicidade. E nem se fantasiar para ter uma autoestima elevada. Que 2017 seja leve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *