O custo verdadeiro… para se pensar

Qual o preço que pagamos por uma peça de roupa produzida por uma loja qualquer de uma rede de fast fashion? Não… não o valor financeiro. Qual o real preço do fast fashion? Essa é uma pergunta que precisamos fazer. E a resposta, clara, está no documentário “The True Cost”.

4

Não é preciso ir muito longe para saber qual a origem de uma roupa comprada em algumas da lojas que nos tentam com preços baixos e os mais variados modismos. São as redes que apresentam as últimas tendências, por pouco. Que atualizam suas coleções semana após semana. Que aceleram as temporadas e são capazes de entregar 52 micro-estações anualmente, fazendo com que a gente sinta que sempre precisa de algo novo… saímos sempre perdendo na corrida pelo look do dia perfeito.

3

A resposta, a origem, está ali mesmo na etiqueta… Cambodia, Bangladesh, Indonesia, China, Nicaragua, Costa Rica, El Salvador, entre tantos outros países que, pela carência de trabalho, recebem precárias sweatshop (locais com condições desumanas de trabalho)… Há casos por aqui também. Não poucos. Entre costuras imperfeitas, tecidos de qualidade duvidosa e roupas que geram amor e esquecimento em pouco tempo, estão pessoas… que recebem algo como US$ 2, US$ 4 dólares pela semana de esforço.

5

A questão a se pensar é: precisamos ser tão egoístas assim a ponto de ignorar o que acontece com tantos trabalhadores (em alguns casos, perto de nós – em fábricas clandestinas localizadas aqui no Brasil) a troco de uma roupa barata, que dura pouco?! Comprar, desapegar. Comprar mais, vender, para comprar de novo… um ciclo que alimenta o desperdício e mantém a indústria da moda de alta velocidade é sustentável?! Há de se pensar que a moda, como conhecemos há tanto tempo atrás, já não existe mais. Mas, é preciso encontrar um caminho mais justificável, que signifique algo, e não somente o comprar por comprar, que enriquece tanto tão poucos. Será que a gente ganha alguma coisa (de verdade) entupindo o guarda-roupa com peças que pouco, ou nada, significam? Além de tudo, merecemos mais.

1

O vazio que fica após tantas compras, com o guarda-roupa tão cheio, mas tão pouco para usar (que é o que tanto acontece) já é uma dica de que as coisas, como estão, não são tão certas assim. A mania de renovar o guarda-roupa, por sua vez, tenta nos impor personalidades descartáveis que não temos a obrigação de aceitar. “The True Cost” está no Netflix.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *