Interpretando Composições

Publicado em Categorias Conversinha, Moda Teórica


Compor, combinar, misturar peças parece ser o maior desafio de toda mulher. É mesmo difícil traçar formas pouco óbvias de se misturar roupas de seu guarda-roupa, sem cair no exagero ou sem ficar básica demais. Mas tudo fica mais fácil quando pensamos nas coordenações de forma mais prática e realista. Imagine um jogo – com metas, objetivos e muita diversão como resultado.

Tenha em mente: estrutura da composição, peça chave e ponto focal. Complicou?! Que nada. A estrutura da composição é o número de peças que compõem o look em questão; a peça chave é aquela que reina e atrai todos os olhares; ponto focal é o local de sua silhueta que será evidenciado no resultado final. Simples assim. Mas… não entendeu nada?! Calma lá.

Como já dissemos antes, aqui no Conversinha, todo corpo e toda mulher possui ponto fortes e pontos fracos em sua silhueta. Descobrir quais são se faz primordial para se vestir bem e são esses que devem ser a grande estrela do ponto focal. Para acertar cheio nisso é preciso jogar com roupas ou acessórios que levem toda a atenção para essa região – seja ela colo, braços, pernas, quadril… e não se tratam de regras já que hoje você pode querer valorizar o rosto e amanha os pés! Tudo muda tão rapidamente, não?!
Continuando. Em todo visual sempre vai haver uma peça chave; ela pode ser um vestido, um anel, uma blusa ou o calçado. Não resuma esse atrativo do look a uma roupa já que muitas vezes acessórios atuam como personagens principais de composição! Mas para tal as demais peças precisam dar espaço e deixar aberto esse lugar onde as luzes de foco jogarão olhares – não dá pra desejar que tudo seja super revolucionário numa só combinação. E é fato que geralmente a peça chave será a grande responsável pelo ponto focal da combinação por você estruturada… porque se você coloca uma saia super estampadona você sabe que ela vai chamar muito mais atenção do que a blusinha branca t-shirt que todo mundo têm igual.

Equilíbrio. Se uma pulga atrás da orelha te diz que você exagerou é porque, talvez, algo ali está mesmo fora do lugar… muitas vezes um detalhe mínimo polui o que poderia estar perfeito.

Estruturar uma composição de maneira coerente é algo que depende do seu astral. Uma peça única pode ser mais simples de usar, mas pede por acessórios e complementos adequados para que o visual não toque na simplicidade extrema; misturar duas peças é básico e aprendemos isso de forma quase que automática, só que nem toda peça combina com outra qualquer… muitas vezes combina com a moça da revista, mas não fica bem em gente como a gente; e fazer um mix de três ou mais peças é lindo sim e fica maravilhoso quando funciona… só que não é só jogar e realizar sobreposições loucas… você precisa medir qual o peso visual daquilo ali pra que você não trabalhe com um foco errado que pode deformar sua bela silhueta.

Simplicidade + simplicidade é chique, clean, elegante… mas só fica assim se as peças possuem corte ótimo em tecidos melhores ainda! Sobreposições são bacanas, atuais e despojadas no entanto as cores precisam conversar, assim como texturas e possíveis padronagens. Bom. Todas essas palavras servem para dar duas dicas finais: sempre, sempre, trabalhe com um espelho companheiro e nunca fique presa às soluções mais simples pois nelas podem estar chances gritantes de erro. Será melhor, talvez, se equivocar por ter tentado à ser mais uma no meio da multidão… e se você se produziu toda e não gostou, paciência… acontece. Sinta-se orgulhosa por ter coragem para sair da tediosa zona de conforto. E é como uma escola… erramos, acertamos e aprendemos muito nesse jogo de composições.

2 pensamentos em “Interpretando Composições”

  1. Adorei a dica!

    Enquanto não junto grana suficiente pra contratar a sua Consultoria à distância (e mais um plus pra equipar o guarda-roupa), vou me virando com o que tenho no armário e as dicas maravilhosas, como sempre!

    Adoro seu trabalho! Parabéns!

    Beijos!

  2. Amanda. Você é muito generosa por repartir todo seu conhecimento. Estou lhe escrevendo para solicitar um orçamento e fiquei muito interessada neste serviço citado pela leitora Camilla. Meus cumprimentos. Rosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *