Toda hora é hora de gastar a vida, até agora

Publicado em Categorias Eu AchoTags

A vida foi feita para ser vivida, simples assim. Tanto trabalho, tanta correria, esforço, dedicação e tantas outras coisas pelas quais passamos são pela nossa sobrevivência. Mas, também, para que possamos arcar com pequenos luxos. Estes que devem ser fonte de felicidade e diversão.

Em busca de uma vida estável, longe de problemas financeiros e com a segurança de ter como pagar por coisas básicas – como alimentação e moradia – muitos deixam de aproveitar o que há para ser aproveitado. Todo o tempo é dedicado ao trabalho. E, a poupança cresce na mesma medida que os mínimos gastos são cortados – em busca de uma conta bancária gorda que ficará de herança para a geração futura, esta que poderá nascer em um berço de ouro e nunca entender o real valor do trabalho.

Filhos e netos podem, ainda, sofrer com a saudade de pais presentes nos mais diversos e simples momentos, lamentando as viagens que não aconteceram ou mesmo as noites e finais de semana sem pai, ou mãe, para brincar e conversar.

Por mais que a riqueza financeira seja interessante e tentadora (ainda mais em tempos de crise), ela parece não ser tão incrível quanto outros tipos de riqueza. Tudo indica que o maior bem de alguém, o mais valioso, é um misto de gastos e momentos, uma junção de investimentos em lazer que melhora o dia-a-dia e quebra a rotina.

Entre a segurança e o exagero

Não se trata de se endividar para fazer uma viagem apenas para se gabar, ou de comprar um carro caro para se enquadrar no padrão. Trata-se de fazer aquilo que lhe deixa feliz e saber que o seu salário, o seu rendimento, deve preencher as suas necessidades.

Claro que cada um tem prioridades, mas você está vivendo e sendo feliz?! Os números que se multiplicam na poupança, ou nos investimentos super bacanas dos quais você se orgulha, terão tanto valor assim quando a idade bater?! Economizar é cortar gastos desnecessários, poupando para um objetivo maior… mas este hábito não deve engessar a vida, travar sorrisos, cortar a alegria. Se é para viver, e se sua felicidade vai lhe custar literalmente caro, arque com este gasto. Ao menos assim todo trabalho terá valido a pena.

Texto publicado originalmente em 9 de setembro de 2012.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *