Eu, meu look do dia real, e minha descoberta pessoal

Publicado em Categorias Eu AchoTags

De uns tempos para cá estou adorando registrar o que eu uso. Faço fotos do que visto. O tal look do dia. Mas, são looks tão normais, tão reais, tão simples – e práticos – que nunca sairiam em um site famoso de moda de rua. Ou mesmo nunca entrariam nas listas de “quem vestiu o que” publicadas por revistas ou por sites especializados.

A questão é que fotografar os próprios looks tem a sua mágica. É um espelho sincero. Muito mais sincero do que o espelho em si. Fotos são ótimos registros. Por meio delas conseguimos acompanhar as mudanças na nossa imagem, nosso envelhecimento, amadurecimento, o que fica melhor, ou pior, em nós. E, o que tenho aprendido na prática, é que fotografar o que você veste pode ser muito mais útil do que eu sempre pensei!

Um catálogo de inspirações

Aliás, sempre recomendei às minhas clientes, como exercício de estilo, registrar os próprios looks. Ainda que em frente ao espelho. Quase como uma maneira de catalogar as coisas que cada uma tem no guarda-roupa. E como elas podem ser utilizadas de maneira variadas. É um exercício de criatividade. E uma forma de se forçar a sair da zona de conforto. 

A questão, porém, está no que vai além. E no que aprendemos com esse exercício. Ou melhor, o que eu mesma aprendi. Percebi que o look real, da vida real, sem montação, desconforto, ou falsidade só para o clique do fotógrafo profissional, é o look que ensina. E a gente se vê ali na foto

Não é a roupa elaborada, produzida e complexa que vai servir como referência para uma pessoa de verdade. Que trabalha, corre, faz suas tarefas, e se desdobra em uma vida na qual a roupa é apenas uma pequena parte. Uma pessoa dona de uma rotina na qual a imagem deve colaborar, mas não é o ponto central. 

Pois é. O look do dia de raiz, aquele no maior estilo Cris Guerra no começo dos anos dois mil, é o look do dia que bate forte e dá ideias. Que prova que dá pra ser feliz com um guarda-roupa de verdade – e não engana o público com composições feitas por roupas emprestadas, maquiagem de salão, produção digna de ator global.

Se você ainda está aqui, lendo o texto, uma dica: faça as suas fotos. Sim, da sua imagem. Do que você veste. Descubra-se. E valorize o seu material. Sua grande inspiração pode estar em você mesma! Sua maior referência pode ser o seu sexto sentido. E há alegria em se perceber incrível com uma sapatilha, uma camisa e uma calça daquelas bem normais.

Estou no Instagram (@consultora_de_estilo) registrando os meus looks. Me segue lá!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *