Sobre aquela sensação estranha de errar no look e querer desaparecer

Não vou negar. É raro eu errar no look. Digo isso pensando no hoje. E não na adolescente insegura que fui. Praticamente 95% dos dias, ou das vezes que me visto, me sinto bem. Me sinto confiante, tranquila e adequada. Por isso, quando estou com uma roupa que não funciona, que cai mal, a vontade é de desaparecer!

Sempre que isso acontece, lembro de tantas outras pessoas que carregam essa sensação. Mas penso, principalmente, nas minhas clientes. Que relatam esse incômodo tão chato e sufocante.

Como é errar no look?

Antes de tudo, uma explicação: errar no look não deve ser uma questão relacionada ao olhar externo. Para mim é uma observação íntima. Acima de tudo, uma opinião pessoal. E não um julgamento externo.

Como eu sempre digo, há quem goste do seu visual, e sempre há quem odeie. Tudo bem.

Errar no look é aquilo que acontece quando você: monta um visual que não funciona, ou não valoriza sua silhueta.

Errar no look é quando você faz uma escolha que até ficou legal. Mas que não é adequada para o momento ou compromisso em questão.

E não importa a razão pela qual isso acontece. É chato! Muito chato!

O que aconteceu?

Comigo, hoje, foi assim. Errei no look.

O que era para ser uma visita agradável ao shopping foi um momento sufocante! Eu queria desaparecer. A cada vez que me via no reflexo do espelho, sentia uma vontade gigante de voltar correndo para o carro. Ou de comprar algo novo, em qualquer loja, só para melhorar o que estava ruim.

Não foi o que fiz.

Segui minha programação. Mas, com a cabeça baixa. E o alívio foi tremendo quando, finalmente, voltei para casa. E troquei de roupa.

Só que durante todo esse tempo, me fiz uma pergunta constante: o que aconteceu?

A resposta, para mim, foi clara. Eu mexi no look que havia planejado mentalmente, inicialmente. Escolhi outra peça, rapidamente. Mas, não me dei ao trabalho de avaliar o visual no espelho.

Erro de iniciante.

Porque é no espelho que a gente dá, digamos, aquela conferida. Que permite que a gente decida se ficou ótimo, bom, suficiente, ou péssimo (o que é razão para escolher outra peça).

Todo dia é um dia bom?

Hoje não era um dia, digamos, inspirado para mim. Mas, eu deveria ter realizado escolhas seguras. Quando disso isso, falo por apostar nas peças que já sei que sempre funcionam bem. Não fiz isso. Fui querer ousar, e falhei.

Mas, afinal, o que isso ensina?

Um look errado ensina muito! Te ensina que: é só uma roupa errada, e passa; que o espelho é MUITO importante; e, por fim, que a forma de cobrir a nudez interfere sim e profundamente no nosso humor.

É claro que não é uma regra.

Existem pessoas que não se importam com imagem pessoal. Enquanto outras não tem nem cabeça para se preocupar com isso – existem dramas maiores que guarda-roupa. Mas, se para você é uma questão importante, não deixe de observar o que você veste. O que te deixa feliz e o que te decepciona.

Aquela sensação estranha de querer desaparecer, por causa de um look, não precisa acontecer. É ruim, péssimo, eu sei. Aconteceu comigo. E, eventualmente, vai acontecer.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *