Entre erros e acertos no enxoval do bebê

Publicado em Categorias ConversinhaTags ,

Enxoval de bebê é aquela história… você se pega avaliando listas e mais listas, mas acaba cometendo os erros que jurou que não cometeria.

Montar um guarda-roupa do zero é desafiador de todo e qualquer jeito.

No meu caso, posso dizer que pouco pequei pelo exagero. Mas, ainda assim, fui surpreendida pelo que está fora do nosso controle. A avalanche de emoções que é gerar um filho, a velocidade de crescimento de um bebê – que é algo impossível de prever – e a inocência de uma mãe de primeira viagem, podem confundir nossa cabeça. 

Econômica até demais

Fui bem econômica ao pensar nas compras de Francisco, hoje com 5 meses. Sabia que os bebês crescem rápido, que roupas se perdem, que algumas coisas nem mesmo chegam a ser usadas, mas ainda assim me precipitei.

Em momentos de impulso e felicidade, gastei com jaquetas e camisetas, por exemplo. E qual bebê precisa disso? Qual bebê precisa de uma varsity jacket ou de uma bomber?

Só que é tudo tão lindo!

O que aprendi, na prática, é que os bodies e macacões são – de fato – o melhor tipo de roupa para um bebê. Seja ele pequenino, ou maiorzinho. O que acontece é que os bebês mexem, rodam, giram, mesmo quando recém-nascidos. E peças únicas não embolam. Ficam sempre arrumadinhas. E, que outra vez na vida poderemos usar bodies? E é tão fofo!!

Roupas RN, e aí?

Por algum motivo, acreditei demais que o meu bebê não usaria muitas roupas de recém-nascido. E não compramos quase nada! O que foi um erro. Ao contrário do que contavam as ultrassonografias, Francisco não foi um bebê grande, enorme e cabeludo (risos). Ele nasceu careca, relativamente pequeno e, por uma série de motivos, levou semanas até ficar maiorzinho. Com isso, usou roupas de recém-nascido até o seu segundo mês de vida. A solução? O papai deu uma rápida ida ao shopping.

Aliás, se você mora em uma cidade ou em um local com fácil acesso a lojas com itens de bebê, deixe o desespero de lado. Fica fácil corrigir erros do enxoval, se você deixar de comprar algo importante.

Lava, lava e lava de novo

E, para quem quer ser prático e econômico, a maior amiga é a máquina de lavar. Ela facilita – e muita – a vida dos pais que não querem acumular muitas roupinhas. Na minha rotina, lavamos roupas de bebês praticamente todos os dias! Assim, ele Francisco tem poucas peças, e mesmo as duas, ou três trocas diárias não viram um problema.

Pois é. Lavar roupinhas a mão, pra mim, nunca deu muito certo. Sem nada de ajuda para cuidar da casa, ou do bebê, acabei desapegando geral de certas orientações. Na minha escala de prioridades, seria difícil passar horas em frente ao tanque. Assim como, tendo aspirador de pó, jamais encosto em uma vassoura.

Luvinha, gorrinho, fofinho, mas…

Assim como Francisco usou muitos bodies e macacões, e ainda usa, outra coisa importante de se ter são meias! Bebês precisam estar com as extremidades aquecidas. Principalmente no comecinho de vida. As luvas, no entanto, são um tanto quanto polêmicas. Muitos tem medo de sufocamento (eu tinha). E os gorros, não são as peças mais confortáveis, apesar de ser ficar lindo para as fotos.

Ou seja, para não encher as gavetas de bobagens, melhor comprar o mínimo do que tem cara de ser supérfluo.

Passa ou repassa

Hoje, já com vários itens de Francisco à venda – ou vendidos – vejo que comprar roupinhas usadas é uma boa opção tanto pelo lado financeiro, quanto pelo lado da sustentabilidade.

Indo além dos itens de vestuário, percebo isso com os acessórios. Brinquedos, tapetinhos, cadeirinhas, entre outros, passam de essenciais a inúteis em questão de dias!

Com isso, as lojas que oferecem aluguel de itens de bebês são uma salvação! Por aqui, já estamos no segundo mês de aluguel de brinquedo e jumperoo. Vale muito à penas e é legal para o bebê sempre ter algo de novo, por perto. Já que eles se cansam muito das atividades.

Essenciais, mas nem tanto

Mas, afinal. Qual a minha lista de enxoval essencial para o bebê? Não arrisco jamais! Apenas deixo minha dica. Seja econômico. Pois é. Me alegro por ter comprado pouco de cada coisinha.

Bodies brancos, de manga longa e curta; calças confortáveis, vários pares de meias, mantinhas quentinhas e macias, além de macacões quentinhos e fofinhos são parte do que o seu bebê deve precisar. É claro que vai depender da estação do ano na qual o filhote vem ao mundo, mas falo do básico do básico, sabe?

Vale lembrar que, depois, gastos com vacinas, exames, consultas e remedinhos vão entrar na sua rotina. E tudo isso pesa bastante no orçamento. São coisas muito mais importante do que gavetas e mais gavetas lotadas de roupas caras, que não serão muito utilizadas.

O que não pode faltar para o seu bebê é carinho, afeto e amor. <3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *