Direto no Pulso

Publicado em Categorias Conversinha, Moda Teórica

São muitas as boas razões pra investir em relógios. Peça antes super essencial nos braços de homens e mulheres atarefados o relógio perdeu muita força devido a disseminação dos celulares… se antes não conseguiamos ficar sem conferir as horas no pulso hoje tiramos o celular do bolso/bolsa e pronto, tudo feito – com a vantagem de calendários, previsão do tempo, agenda e todas aquelas coisas que esse antigo acessório nunca pôde ofertar… Só que o charme de um relógio de pulso está em sua história e não apenas na sua super útil função.


Relógios falam muito sobre o estilo de uma pessoa, sendo que serve não apenas como item de grande utilidade. Trata-se de um tradutor de personalidade, que revela (as vezes) mais do que as próprias roupas. Lembramos de trocar ou optar por ternos e vestidos adequados às situações… mas muitas vezes os relógios passam despercebidos nesse processo. Por que?! Porque eles acabam como uma extensão do corpo, assim como acontecem com os óculos de grau e com as alianças de casamento. Não é exagero.

Hoje em dia relógios são vítimas de modinhas, assim como acontecem com bolsas, sapatos e afins… mas há também uma extensa gama que responde às necessidades das mais diferentes personalidades. Existem os de tendência, mega badalados, que recebem homenagens mil em forma de cópias que acabam por se alastrar entre os mais variados pulsos enlouquecidos por modismos; existem os famosos de plástico, divertidos, que instigam a vontade de colecionar e o desejo de brincar até mesmo na hora de consultar as horas; existem os clássicos, atemporais, que com suas pulseiras de couro remetem à serenidade e sobriedade daqueles que levam a vida a sério; nos esportivos o desejo pela praticidade, que reúne culto ao corpo e conforto em materiais fáceis e simples de cuidar.

Não importa quem você é, como você é e quais suas ambições… um bom relógio, pertinente à sua rotina, é peça chave não apenas no seu guarda-roupa mas também na sua vida. Porque um celular é ótimo, claro, mas nada melhor que ter direto no pulso uma boa razão para se lembrar dos horários, dos compromissos, dos prazos que hoje, pela extrema correria do dia-a-dia, muitas vezes esquecemos de cumprir. Clássicos, são e sempre serão clássicos… até mesmo em seus modelos não tão atemporais.

1 pensamento em “Direto no Pulso”

  1. Ah, não vivo sem relógio! Gostava de variar, comprando esses bem baratinhos… mas eram praticamente descartáveis! Até que investi em um melhorzinho, pulseira de metal prateada e pequenos detalhes em dourado, que combina com tudo e não sai mais do meu braço! Concordo super com vc!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *