Quão alto o meu salto deve ser? Michael Kors responde

Michael Kors não é só nome de uma conhecida marca de bolsas e relógios. Aliás, é bem mais do que isso. O estilista Karl Anderson (Michael Kors é só seu nome artístico) estudou no FIT-NY. E ainda muito jovem, aos 21 anos, lançou a marca que leva seu nome. Por muitos anos foi diretor criativo da Celine. Além de ter sido jurado do reality show de novos criadores, Project Runway. Além disso, sua grife fez dele um dos estilistas mais bem sucedidos de sua geração.

Salto como regra?

Bom. Sempre que vejo alguém falando sobre a obrigatoriedade do uso do salto alto para um look elegante me pego pensando se a mulher vai se sentir confortável com tal tipo de calçado. Aliás, nenhuma mulher precisa, por regra, usar salto. E, utiliza-lo com desconforto ou sem dominar o sapato é muito desnecessário.

Michael Kors, aliás, comenta com sabedoria a questão. E mostra que o importante é você se sentir confortável com o sapato de salto por um bom tempo, para poder utiliza-lo tranquilamente. Um sapato que gera desconforto, ou que atrapalha o mero ato do caminhar, não é uma boa opção. Elegância também está em saber tomar boas decisões.

Muitas dúvidas quanto ao que vestir? A Consultoria de Estilo pode te ajudar muito! Conheça o serviço. Me escreva no amanda@amandamedeiros.com.

Jeremy Scott, o designer do povo

Polêmico, Jeremy Scott é o nome atualmente à frente das loucuras da Moschino! Quem não lembra da febre das capinhas de celular inspiradas em ursos ou pacotes de batata frita do McDonalds? Ou da volta dos moletons com estampas agigantadas de personagens infantis? Sim, tudo partiu das mente do estilista.

Um nome capaz de rir do que é pop e transformar coisas banais em fonte de desejo. Por vezes, a crítica especializada torce o nariz para Jeremy Scott. Mas, se o público consumidor gosta…

jeremyscott

Sem medo de ousar, de ser ridículo, Jeremy Scott abusa da sua criatividade. E tem olhar apurado para o que vai pegar. Talvez, isso seja reflexo da sua linha de criação. Nas palavras dele, “eu não vou trabalhar com pessoas que não me dão a liberdade para que eu seja eu”, decretou.

O designer do povo

Entre várias parcerias, colocou suas icônicas asas em um Mini. As mesmas foram aplicadas, também, em carrinhos de bebê e em tênis Adidas. Para a marca esportiva, aliás, inventou estampas e formas que desconstroem a silhueta padrão curvilínea. Tudo grande, gigante e exagerado.

Para quem quiser saber mais sobre Jeremy Scott vale assistir o documentário sobre sua trajetória (disponível na Netflix): Jeremy Scott: The People’s Designer. Em um momento ele afirma que o que ele mais quer é que todos usem suas criações. Não importa que, no caso, estas sejam cópias.

 

Numa frase: Iris Apfel


Iris Apfel. Não me canso de falar dela. Ícone da moda, aos 95 anos ela influencia gerações. E prova que é possível se manter incrível com o passar do tempo.

É por esse e outro motivos que hoje a frase é dela: “Quando você não se veste como todo mundo, você não precisa pensar como todo mundo”. Tá claro?

irisapfel1

Idade é sabedoria. Vivência traz conhecimento. Quer conhecimento maior que esse de entender a importância de ter estilo? É algo que impacta nossa vida não só no visual e nas vestes, mas representa muito mais.

irisapfel2

Iris Apfel e a Maturidade que traz confiança

Iris Apfel também destaca sua confiança com sua imagem. “Não vejo nada de errado com as rugas. É como uma marca de coragem”. O passar dos anos, para alguns, pode ser difícil – mas não precisa ser.

Quer saber mais sobre Iria Apfel? A Netflix tem um documentário sobre ela, bem bacana: Iris. Confira!

Numa frase: a moda, por Bill Cunningham

Em documentário sobre a vida do fotógrafo de moda e street style Bill Cunningham (Bill Cunningham New York), o mesmo falou sobre a importância da moda e seu aspecto que vai além de cobrir a nudez. “A moda é a armadura para sobreviver a realidade da vida cotidiana. Eu não acho que você poderia acabar com isso. Seria como acabar com a civilização”, afirmou.

BillFrase

Não é fácil pensar a moda isolada de seu caráter emocional, de seu significado como alimento para a autoestima e confiança. São tecidos e aviamentos que combinados representam as características de um tempo e da personalidade de quem veste.

“Fashion is the armour to survive the reality of everyday life. I don’t think you could do away with it. It would be like doing away with civilization”

Bill Cunningham faleceu em julho deste ano. Deixou, além de sua biografia, retratos emocionais da evolução da moda nas últimas décadas. Emoção por meio de imagens que abrem espaço para reflexões. Mas, não só isso. É questão de olhar. Foi Cunningham que fotografou Iris Apfel antes de qualquer outro. Ele entendeu o universo das roupas, por isso garantiu seu lugar. Cravou que “a moda é vital e interessante como nunca (…) E a moda está fazendo o seu trabalho. Ela refletindo exatamente o nosso tempo atual”.

“Fashion is as vital and as interesting today as ever. I know what people with a more formal attitude mean when they say they’re horrified by what they see on the street. But fashion is doing its job. It’s mirroring exactly our times.”

Quem quiser saber mais sobre o fotógrafo pode assistir o documentário ‘Bill Cunningham New York’.

Numa frase: a moda é fácil?

Não que a moda seja difícil, e segui-lá cegamente não é. Mas, entender a moda, como ela funciona, suas minúcias e peculiaridades, faz com que conquistar confiança por meio da aparência – e ter um ótimo visual – não seja tão simples assim.

Não digo que a questão é virar um especialista em tendências, modismos… muito pelo contrário! Imagem, e moda, vai muito além do ‘tem que ter’. É preciso compreender o todo do ato diário do vestir: as variações de cada corte e modelagem, aplicados na sua silhueta… As pegadinhas presentes nas tendências e, claro, a complexidade de equilibrar a vontade com a realidade. Ou seja, enxergar além do que é imposto.

TimGunnFrase

Vestir bem e ter confiança por meio do visual não é algo impossível, mas carrega suas dificuldades. Por isso nem todos conseguem dominar seu guarda-roupa e adquirir confiança e autoestima elevada – aquela que parte de pedaços de tecidos recortados e costurados de maneiras diversas. Por isso, não se sinta mal ao se perceber perdido em frente ao seu guarda-roupa. É natural. Assim como qualquer outro universo, a moda requer leve análise, trabalho e alguma dedicação. Como lembra o consultor de moda Tim Gunn, se a moda fosse fácil, todos teriam ótimas aparências.

“But if fashion were easy, wouldn’t everybody look great?” Tim Gunn