Numa frase: além das tendências

Seguir toda e cada tendência à risca pode ser tentador. Mas, o que isso diz sobre a sua personalidade? Ter estilo é conseguir aplicar no seu visual um pouco de sua personalidade. É contar algo sobre você por meio da moda, uma linguagem silenciosa. Mas, isso não significa, por via de regras, “estar na moda”. Aliás, gostar dos modismos pode ser ótimo – e pode estar ligado ao seu estilo pessoal. Mas, quando o apego às tendência vira um uniforme, uma forma engessada de vestir, o resultado é frio. Sem emoção.

Não precisamos e uniformes

O estilista italiano Giorgio Armani lembra, em sua frase, a importância de ter os seus clássicos. E de realizar escolhas que vão além das tendências. “Neste momento da moda, não precisamos de uniformes, mas de peças únicas e pessoais que separem as mulheres da matilha”, pontua. Vale a reflexão entre ser só mais um, ou ser você.

Numa frase: como você se mostra ao mundo?

Como linguagem silenciosa, a moda é um meio de comunicação. Afinal, transmitimos mensagens por meio das roupas que vestimos… Por vezes, pela maneira que combinamos as peças do nosso guarda-roupa, ou pela nossa forma pela qual selecionamos adornos. Em cada detalhe há uma mensagem. Que é analisada pelo seu contexto. 

Uma linguagem instantânea

Ao afirmar que “a moda é uma linguagem instantânea”, a estilista italiana Miuccia Prada fala exatamente sobre uma das mais fortes características da moda: a sua capacidade de comunicar. E, nos dias de hoje, quando tudo é são veloz e superficial, escolher bem o que vestir faz toda a diferença! 

 

Já são antigas as pesquisas que apontam que em 10 segundos alguém pode formar uma opinião sobre você. E a lógica é bem essa. Somos analisamos pelo que mostramos, mas também pela nossa maneira de falar. Pelo nosso jeito de andar e portar. E pela forma de vestir.

Numa frase: estilo você precisa ter

Um dos clichês do universo fashion é o de que estilo nunca sai de moda. Mas, é preciso concordar. E desde o século passado Edna Woolman Chase – editora de moda da Vogue por alguns décadas – já falava sobre o assunto.

Entre tendências e estilo pessoal

As tendências podem ser facilmente compradas. Principalmente nos dias de hoje que existem opções com valores acessíveis para cada modismo. A novidade desfilada pela grande grife rapidamente é copiada pelas redes de fast fashion. E, assim, manter-se dentro do que é atual é simples. Mas, e quanto ao estilo? Sim, esse você precisa ter. Precisa fazer parte de você, do seu modo de vestir. Mesmo que o seu estilo inclua seguir tendências.

Parece complicado? Não é. Jamais se esqueça da sua personalidade. Do seu gosto pessoal. É ele que vai te guiar em suas escolhas. Que vai te mostrar o que, entre as peças das araras, combina com você. É também o seu estilo que te ajuda a enviar as mensagens que você quer enviar. Pegar o que está pronto, montado, pode ser mais simples. Mas aí, desse jeito, você será sempre mais uma no meio da multidão. E, pior, mais uma que não transpira confiança. E vive de peças que não duram e pedem uma nova compra após outra.

Invista no que favorece o seu estilo. Aposte na sua essência, antes de pensar nas tendências. 

Sofrendo com o guarda-roupa? Não precisa ser assim. Me escreva e vamos conversar sobre os serviços da Consultoria de Estilo: amanda@amandamedeiros.com.

 

Quão alto o meu salto deve ser? Michael Kors responde

Michael Kors não é só nome de uma conhecida marca de bolsas e relógios. Aliás, é bem mais do que isso. O estilista Karl Anderson (Michael Kors é só seu nome artístico) estudou no FIT-NY. E ainda muito jovem, aos 21 anos, lançou a marca que leva seu nome. Por muitos anos foi diretor criativo da Celine. Além de ter sido jurado do reality show de novos criadores, Project Runway. Além disso, sua grife fez dele um dos estilistas mais bem sucedidos de sua geração.

Salto como regra?

Bom. Sempre que vejo alguém falando sobre a obrigatoriedade do uso do salto alto para um look elegante me pego pensando se a mulher vai se sentir confortável com tal tipo de calçado. Aliás, nenhuma mulher precisa, por regra, usar salto. E, utiliza-lo com desconforto ou sem dominar o sapato é muito desnecessário.

Michael Kors, aliás, comenta com sabedoria a questão. E mostra que o importante é você se sentir confortável com o sapato de salto por um bom tempo, para poder utiliza-lo tranquilamente. Um sapato que gera desconforto, ou que atrapalha o mero ato do caminhar, não é uma boa opção. Elegância também está em saber tomar boas decisões.

Muitas dúvidas quanto ao que vestir? A Consultoria de Estilo pode te ajudar muito! Conheça o serviço. Me escreva no amanda@amandamedeiros.com.

Jeremy Scott, o designer do povo

Polêmico, Jeremy Scott é o nome atualmente à frente das loucuras da Moschino! Quem não lembra da febre das capinhas de celular inspiradas em ursos ou pacotes de batata frita do McDonalds? Ou da volta dos moletons com estampas agigantadas de personagens infantis? Sim, tudo partiu das mente do estilista.

Um nome capaz de rir do que é pop e transformar coisas banais em fonte de desejo. Por vezes, a crítica especializada torce o nariz para Jeremy Scott. Mas, se o público consumidor gosta…

jeremyscott

Sem medo de ousar, de ser ridículo, Jeremy Scott abusa da sua criatividade. E tem olhar apurado para o que vai pegar. Talvez, isso seja reflexo da sua linha de criação. Nas palavras dele, “eu não vou trabalhar com pessoas que não me dão a liberdade para que eu seja eu”, decretou.

O designer do povo

Entre várias parcerias, colocou suas icônicas asas em um Mini. As mesmas foram aplicadas, também, em carrinhos de bebê e em tênis Adidas. Para a marca esportiva, aliás, inventou estampas e formas que desconstroem a silhueta padrão curvilínea. Tudo grande, gigante e exagerado.

Para quem quiser saber mais sobre Jeremy Scott vale assistir o documentário sobre sua trajetória (disponível na Netflix): Jeremy Scott: The People’s Designer. Em um momento ele afirma que o que ele mais quer é que todos usem suas criações. Não importa que, no caso, estas sejam cópias.