Transforme a sua imagem sem gastar um centavo

Pode ser tentadora a ideia de renovar todo o guarda-roupa. Jogar fora tudo o que não combina mais com você. Sair para fazer compras. Recomeçar do zero – com direito a corte de cabelo, curso de maquiagem e um personal stylist para montar os seus looks toda semana.

Pode ser sim interessante a ideia de se livrar do passado e recomeçar sem utilizar nenhum rascunho antigo… mas, é também irreal.

As transformações de imagem pensadas para pessoas de verdade, com contas para pagar, trabalho para lidar e toda uma rotina normal para viver, esbarram nas dificuldades de uma vida real. Orçamento limitado, tempo escasso, e até mesmo aquela preguiça de levar em frente novos projetos entram no caminho.

Mas, o que acontece se eu te contar que é sim possível transformar a sua imagem sem gastar um único centavo?

Vida real, grandes ambições

Esse é um projeto para hoje. Para agora. Com resultados instantâneos e até mesmo uma maneira de se motivar mais para se jogar de cabeça em uma maior transformação.

Para hoje, é preciso mudar o seu jeito de olhar para o seu guarda-roupa. Apagar aqueles looks viciados, as combinações repetidas, as formas de usar que já te cansaram – e não trazem bons resultados.

É preciso dizer “chega” ao que não alegra mais. Parar de usar hoje, agora, qualquer peça de roupa ou acessório que não te deixa confiante.

Sei o que você está pensando… pode estar passando pela sua cabeça que se você fizer isso, não vai sobrar nada para você usar! Certo? Errado! Vai sobrar sim. Não precisamos de muitas roupa no nosso dia a dia. E o conceito do guarda-roupa cápsula chega para reforçar essa ideia.

É preciso acreditar nos seus instintos. Combinar e aceitar que as criações são interessantes.

O medo de errar, de se sentir feia o dia todo, ou de ficar triste com o visual, gera insegurança. O que faz com que a gente repita sempre os mesmos looks. Até os que não funcionam. Porque achamos que o que é ruim é menos mal do que sair da zona de conforto. Ledo engano. Monte um look, inspire-se, até mesmo reproduza (tá, copie) e acredite no potencial das suas ideias.

É preciso valorizar a simplicidade.

Descomplique o vestir

Um look bem montado, acertado, não precisa ser um look necessariamente superproduzido. Pode ser aquele atemporal. Sem exageros. Básico, feito com clássicos. Descomplique o seu vestir. Combine peças atemporais. Desapegue tanto das tendências quanto dos modismos.

O que você precisa para transformar a sua imagem pode estar bem perto de você. No seu guarda-roupa. E em uma nova maneira de olhar para o que você tem.

No YouTube: como criar looks novos com roupas velhas

Aprenda a valorizar a sua imagem e tenha um novo relacionamento com o seu guarda-roupa. Detalhes no amanda@amandamedeiros.com.

Maneiras espertas de usar peças “fofinhas”

Quando caem as temperaturas, surgem outras possibilidades no guarda-roupa. Sobreposições e peças mais pesadas passam a fazer parte das alternativas do vestir.

Entre elas, uma é especial: as peças puffer. Ou melhor, essas peças fofinhas, com pegada esportiva.

Supervolumosas e feitas em nylon, lembram um aconchegante abraço. E, o melhor? Literalmente esquentam muito o corpo.

Mas, como usar uma peça tão cheia de volume?

Peça de impacto

Não dá pra ignorar sua forte presença. Se tiver cor, o impacto dobra! Então, a questão do volume é um ponto a ser avaliado. E é aí que entra a importância da composição.

A montagem do look deve observar o equilíbrio visual.

Se a jaqueta ou colete é bem volumoso, as peças complementares podem ser mais leves. Ou mais enxutas. Tudo para que o visual não fique muito grandão.

E a peça que vai por baixo da puffer também pode ser mais levinha. Mais seca, quase que rente à silhueta. Porque assim não fica toda uma confusão visual.

Mas, se você gosta de algo diferentão – muito volume, contrastes, impacto – pode caprichar no efeito inverno.

Tem vídeo no canal do YT sobre as peças fofinhas

Cansada de sofrer com o guarda-roupa? Conheça a Consultoria de Estilo Online. Me escreva no amanda@amandamedeiros.com.

A equação do vestir e as roupas para trabalhar

Quantas horas diárias você passa trabalhando? Ou melhor, quanto tempo do seu dia você passa utilizando as roupas que escolhe para trabalhar? São muitas. E, muito além das 40h semanais, temos todo um dia – quase sempre de segunda a sexta – que inclui looks chamados de profissionais, com os quais desempenhamos outras variadas tarefas.

É como se, no mínimo, 1/3 do seu dia – e da sua vida – você passasse usando as tais roupas de trabalho.

Investir em roupas chamadas “profissionais” é essencial. Assim como pensar no visual de trabalho. Ele não deve ser renegado a uma segunda categoria – abaixo, por exemplo, das roupas para festas e eventos.

Aliás, por que investimos tanto em roupas “de sair” ou de festa se saímos tão esporadicamente? O lazer tem sim muito valor. Mas, nossa autoestima e confiança é diretamente afetada pelo nosso visual diário. O mais regular.

Não cola aquela história de: “ah, é só roupa para trabalhar… pode ser qualquer coisa”. Passar tanto tempo com roupas medianas ou inadequadas,que geram infelicidade, é apostar em um tipo de visual igualmente infeliz.

Devemos ter em mente que passamos muito tempo trabalhando e que a roupa para tal tarefa requer especial atenção

A roupa de trabalho, assim como as outras, requer planejamento. Principalmente no quesito quantidade. É necessário ter um tanto suficiente para suprir suas carências diárias, evitando a falta ou o exagero.

Também é importante evitar a tal paixão doentia pelo visual profissional, super extrema. Esta que faz com que o tipo de peça basicamente domine o guarda-roupa, faltando peças para a vida pessoal. A equação de quantidades e necessidades é primordial para nortear o que estrutura o seu dia-a-dia… Ou ao menos é a representação de uma das suas mais rotineiras atitudes – o ato de vestir-se para encarar mais um dia.

Como usar jeans com jeans

Tecido essencialmente casual, o jeans é o tipo de material que nunca sai de moda. O máximo que vemos acontecer com ele é o surgimento de novas tendências nas formas de uso e aplicação.

Não é de se espantar que o look 100% jeans seja uma referência. Ou melhor, um tipo de combinação que é uma opção constante para quem curte uma estética um pouco mais informal.

Para quem tem medo de usar o look só com peças jeans, um aviso: não tem muito como dar errado. A questão essencial é ficar de olho no peso visual das peças, para que a composição não fique muito grosseira.

Existem peças jeans nos mais variados estilos. E, claro, com resultados que variam muito de acordo com o peso do tecido, sua cor, sua modelagem…

Quer experimentar? Segue abaixo três dicas que podem te ajudar muito a brincar com o mix de peças jeans.

– misture peças com tons de jeans diferentes: claro com escuro ou uma lisa e outra com lavagens;

– junte uma peça jeans mais pesada com outra mais leve: brinque com a questão do peso visual;

– combine uma peça jeans com um acessórios jeans, afinal o mix não precisa estar apenas nas roupas.

Que tal, já gosta ou vai tentar utilizar?

Lembre-se, sempre, que são essas ideias que fazem o nosso guarda-roupa render muito! E é com truques assim que conseguimos criar muitos looks com poucas roupas.

Tem mais no YouTube. Assista!

Para conhecer formas e maneiras de otimizar o seu guarda-roupa, conheça a Consultoria de Estilo. Me escreva no amanda@amandamedeiros.com.

Como transformar looks de verão em looks de inverno

Para você, montar looks quentinhos, perfeitos para o inverno, é uma tortura? Talvez faltem no seu guarda-roupa algumas peças básicas e essenciais para fazer com que suas roupas de meia estação, ou verão, sejam utilizadas durante o frio.

Peças transformadoras

A primeira peça que é básica, essencial, indispensável no guarda-roupa de inverno é o suéter. Simples e básico suéter. Pode ser com gola V, redonda, gola alta, vai depender do seu estilo e do que você gosta! O legal é que ele tenha uma cor neutra, daquelas que te valorizam. Seja preto, branco, bege, marinho, ou mesmo vinho.

A parka – um casaco de características utilitárias, feito em tecido impermeável – é outra peça que é muito útil no inverno. É muito versátil e já se firmou como algo que vai além da tendência. Boas opções de cores são o verde militar, bege, marrom ou preto, que são tons que ornam bem com praticamente tudo. Quando chove, então, passa a ser muito mais útil! Em viagens é indiscutível como funciona bem até mesmo por seus tantos bolsos.

Falar sobre inverno sem falar de trench coat é difícil, pra não dizer raro. O casaco funciona tão bem por ser prático! E funciona bem no conceito de tirar e colocar. Ou melhor, aquele item com o qual você se protege do frio, mas tira com facilidade quando precisa (ao entrar em ambientes quentinhos). Tudo bem fácil. E tem uma pegada bem elegante, além de ser um clássico. Pode ter o comprimento até o joelho ou ser curtinho. Se você encara mais frio, o melhor é o mais compridinho. O mesmo vale para escolha do modelo, pensando no tecido. São várias as opções.

Peças fofinhas

E aquela jaquetinha fofa, que alguns chamam de puffer. Pode ser que você não tenha uma, mas já se imaginou abraçado por ela… certo? Não é uma peça só gostosa, ela esquenta bastante, apesar de ser leve, e tem estilo mais casual. O que é legal para quem não quer deixar todo look de inverno todo elegante. Pra quem acha o modelo muito inflado pode ser outro modelo de nylon.

Ainda na mesma pegada, o colete fofinho, também desse tipo puffer, entra como uma maneira de encarar o frio. É como seguir o velho conceito de mãe, que diz que o importante no inverno é proteger o peito “pra não gripar”. O colete de nylon não é só legal, com um toque modernoso, mas também fácil de combinar.

Quer ver mais?

Conheça a Consultoria de Estilo: a maneira mais simples e prática de melhorar o seu relacionamento com o guarda-roupa. Descomplique o ato diário do vestir.