Aprenda a usar listras para valorizar sua silhueta

Usar listras é algo que pode deixar a sua imagem muito mais interessante. Afinal, estampas são elemento de grande importância na moda. Elas ajudam a deixar os looks mais trabalhados, são atemporais e, acima de tudo, tem o poder de a valorizar as linhas da silhueta.

Mas, o que muitos não sabem é: como usar listras? E, além disso, quais efeitos as listras horizontais ou verticais geram no corpo?

como usar listras

Horizontais x verticais

Na teoria, as estampas horizontais costumam alargar o corpo, enquanto as verticais tendem a alongar. É questão de ilusão de ótica. Mas, não é correto resumir apenas a isso o efeito. Ou, pior, deixar de usar uma, ou outra, por medo de “engordar” ou “emagrecer” visualmente.

E o que isso significa? Que não há uma estampa que é vilã, enquanto outra é a salvadora.

Estampas verticais e horizontais
Estampas verticais e horizontais geram efeitos distintos, mas não há uma vilã ou uma salvadora

Estampas são caracterizadas por vários detalhes. Os principais são: contraste de cor e espessura das linhas. E são esses dois detalhes de grande valor que determinam se um padrão de listras vertical, ou horizontal, vai de fato te aumentar, alongar, afinar ou encurtar.

Contraste em estampas
Estampas horizontais: preto e branco em alto contraste e preto com bege, em médio contraste

Observe a espessura das linhas e o contraste de cores

É através dessa combinação de fatores que a estampa listrada opera sua mágica! Por isso de nada adianta, apenas, resumir um padrão à isso ou aquilo.

Estampas horizontais
Estampas horizontais, em diversas características

Com o tempo você treina o olhar e começa a entender, rapidinho, quais são essas peculiaridades da estampa… e o que ela vai fazer com o seu corpo e pelo seu visual.

Estampas verticais
Estampas verticais, em diversos contrastes e espessuras, e efeitos totalmente diferentes

Então, um lembrete: esqueça, de vez, as regrinhas! Pare de fugir das listras (sejam elas quais forem). Avalie caso por caso e, principalmente, entenda que nada pode ser resumido à bom ou ruim.

Estampa listrada
Inspire-se: looks com peças em estampa listrada

Dicas incríveis para usar listras

  • Quanto mais finas forem as listras horizontais, menos elas aumentam visualmente;
  • No caso da listras verticais, se forem finas o efeito é multiplicado (alongam bem mais);
  • Listras grossas encurtam e aumentam visualmente a porção;
  • Baixo contraste de cores minimiza o efeito da listra;
  • Alto contraste de cores, por sua vez, potencializa o efeito;
  • A modelagem e o tecido da peça interfere no efeito das listras;
  • O conjunto de peças (a construção do look) também tem grande importância.

Mais dicas? Confira o vídeo!

Para conferir dicas semanais de moda, em vídeo, é só se inscrever no canal. Clique aqui!

Curta sem medo as possibilidades da moda. Descubra os padrões que combinam com o seu estilo – e com a sua identidade visual – e viva a sua melhor versão.

Como escolher a lingerie certa e como fugir do “efeito fraldinha”

Não é porque ninguém está vendo o que você usa por baixo da roupa que essas pequenas peças não são importantes. Pois são e muito! A lingerie certa faz toda diferença!

A escolha da calcinha e do sutiã é, aliás, determinante para o bom funcionamento de um look. Lembre-se de quantas vezes você não viu, por aí, calcinhas marcando a roupa, ou mesmo sutiãs que amassam os seios e geram impressões um tanto quanto estranhas, sabe?

Vale dizer, também, que a lingerie que escolhemos diz muito sobre nossa autoestima e confiança. Pode conter segundas intenções, ou mesmo a valorização da silhueta.

Você é quem sabe.

Quais são então os cuidados que você deve ter ao escolher a lingerie?

Fique de olho no tamanho certo da calcinha e do sutiã. Nada de calcinha pequena, ou grande; nada de sutiã apertando, ou sobrando nos seios. Não fica legal, mesmo! A lógica para perceber o tamanho certo da lingerie é a mesma usada com uma roupa qualquer. Precisa ser ajustada, não colada.

Texturas, estampas e detalhes podem interferir no resultado final da sua roupa. E, a não ser que seja intencional mostrar um pouco do sutiã (ou muito) pense se a cor não vai saltar demais no tecido da roupa, ou se a peça que você quer usar é muito coladinha e por isso pede uma lingerie lisa, neutra, quase que invisível.

E o nude?

Falando sobre neutro, não há uma cor de lingerie que seja neutra para todo mundo! Voltamos pra história do nude. O que é nude? Qual cor? É aquela que copia o tom da sua pele. Para uma mulher branquinha, o nude pode ser um bege rosado; para a negra, um bege quase marrom. Compare com o seu tom de pele e tá tudo certo.

Sutiãs são especialmente delicados. O tamanho do bojo deve ser avaliado, não só o tamanho das alças, sabe? Várias lojas, como a Loungerie – não é jabá – fazem as medições e te ajudam a descobrir qual a tamanho perfeito do seu sutiã. Faça isso. É importantíssimo!

Ah, a calcinha. Não adianta ser linda, se não é o modelo mais adequado pra peça de roupa que vai por cima. Em alguns casos, a tanga, ou um modelo sem costuras, é o que mais funciona – veja o que você considera mais confortável. Em outros, uma calcinha muito pequetita pode ser reveladora demais. Há também a chance de você usar uma calcinha com cintura alta, que ajuda a “firmar” a barriguinha. Ou, se estiver com vontade, uma daquelas com enchimento no bumbum. Não tenha medo dos julgamentos e use o que mais te alegrar.

Calcinha que marca x calcinha que não marca

Um ponto importante, como já citamos, é o fato da calcinha marcar, ou não, no seu look. Para evitar o #efeitofraldinha, aposte nos modelos em RENDA. Descubra como eles são os que melhor abraçam a silhueta, não apertam possíveis gordurinhas

Em contrapartida, os modelos com elásticos nas laterais, detalhes e enfeites, além de costuras muito grossas, acabam por pressionar a pele e marcam, até mesmo, o corpo das mulheres super magrinhas.

Confira no vídeo mais sobre #efeitofraldinha:

Gostou do vídeo? Então se inscreve no canal: aqui!

#DicaCde

Comprar a lingerie certa pra você é um problema? Morre de vergonha? Tudo bem. Sei que isso acontece, vez ou outra. Então, se joga nas lojas virtuais. Adoro essa aqui e essa aqui. São lugares nos quais posso avaliar modelos de marcas diversas, sem ficar muito presa a só uma marca – como acontece em lojas de shopping, não é.

Invista em lingerie com o mesmo carinho no qual você investe em bolsas, ou roupas de festa. Vale muito a pena.

Jeitos de usar parka: inspire-se com looks vida real

Parka: a palavra parka tem origem num dialeto e refere-se a um casaco de pele com capuz usado pelos esquimós. Sua versão em tecido impermeável verde escuro, confeccionada com 50% de nylon e 50% de agoldyão, foi adotada pelas Forças Armadas americanas como uma proteção contra o frio ou a chuva a partir dos anos 50. Tem comprimento até o meio das coxas, fechamento e bolsos frontais e cadarços que correm em sua bainha, originando um leve franzido. Nos anos 60, foi adotada pelos mods ingleses, que a consideravam útil tanto para compor seu visual, quanto para servir com proteção ao vento e ao frio, ao se locomoverem em vespas ou lambretas. Desde então, as parcas têm reaparecido na moda em inúmeras interpretações, tecidos e em cores que vão geralmente do cáqui ao verde escuro | Dicionário da Moda, por Marco Sabino.

Você pode ter, ou gostar, da parka “original”, ou dos modelos que têm apenas como referência a peça clássica – as interpretações. Não importa. Pois o legal é você tirar máximo proveito do item e aproveitar toda a sua versatilidade.

Quando digo que a parka combina e vai com tudo é porque realmente funciona! É claro que se combina com o seu estilo e com sua identidade visual, certo?

Escolha a parka que te agrada

A dica é: escolha um modelo que tenha características que te agradam! Eu, particularmente, gosto da parka bem clássica – dos bolsos, do comprimento alongado e o tecido em partes impermeável. Mas, se você considera muito poluído ou informal, tudo bem. Saiba que existem opções mais lisas e feitas em outros tipos de tecido!

Como usar?

Fiz um vídeo para o meu canal do YouTube mostrando vários jeitos de usar a parka. Então, confira e se inspire!

Mais dicas para usar e combinar a sua parka:

  • Monte um look como base, com pecas que você gosta, e experimente finalizar com a parka;
  • Combine com jeans e camiseta. É a mistura mais básica e versátil possível. E, para fechar, adicione acessórios da sua preferência;
  • Que tal usar com vestido? Pois funciona muito bem! Combine com modelos justos e sensuais, para um resultado contrastante;
  • A parka pode ser uma peça intermediária, quando você sobrepõem um casaco mais pesado – para dias de muito frio, claro;
  • Lembre-se de escolher um modelo de tamanho perfeito, nem grande, nem pequeno demais. Isso afeta diretamente o resultado de todo e qualquer look;
  • Experimente, sem medo! O segredo de um armário versátil e que “rende bastante” está na ousadia de tentar. Confira no espelho como ficou e resultado, e pronto!

Como ter um visual profissional impactante, sem exageros

Por muito tempo, a dica para acertar no visual profissional era: vista-se para o trabalho que você quer ter. Porém, as coisas já não funcionam mais assim.

Você deve se vestir para o seu trabalho de hoje. E, com equilíbrio, salpicar elementos que remetam à sua personalidade e aos seus anseios futuros.

Falo sobre revelar algo a respeito de você, mas com honestidade.

As roupas que usamos podem sim impactar positivamente aqueles que estão ao nosso redor. Só que isso é algo que vem com o dia a dia. Um trabalho constante. Por isso é essencial ter coerência

Dia após dia

Sabe a questão da marca registrada? É disso que estou falando. Mais do que uma imagem superficial, você não deve se vestir de maneira meramente superficial. Isso não traz nenhum efeito positivo. Pelo contrário. Transmite a ideia de insegurança.

É questão de se vestir com alma. E não de se enfeitar para o trabalho dos sonhos. E assim agregar firmeza e credibilidade a sua imagem profissional.

De nada adianta, por exemplo, caprichar na imagem um dia e no outro vestir a primeira coisa que encontra no guarda-roupa. Isso só reforça a ideia de que o seu visual profissional é falso.

E é aqui que está. A ideia é passar a sensação de algo autêntico. Que vêm da sua essência.

Feminino e profissional, por que não?

Se antes as mulheres precisavam recorrer ao guarda-roupa dos homens para encontrar elementos que transmitissem sensação de credibilidade, hoje isso não é mais necessário. No guarda-roupa feminino já existem inúmeras possibilidades para tal.

A ideia ultrapassada do visual com pegada masculino para passar sensação de autoridade e competência caiu por terra.

Existe a alfaiataria que respeita as curvas femininas. Existem tecidos, com elastano na composição, que permitem cortes mais ajustados.

É até possível colocar elementos de feminilidade e delicadeza no visual. Sabe? Se isso fizer parte do seu estilo…

De toda forma, tudo deve ser feito com equilíbrio.

Imagens extremamente femininas, românticas ou delicadas transmitem a sensação de alguém que precisar ser cuidado. Assim como uma pegada sensual passa a imagem de alguém que quer conquistar o seu lugar por seu atributos físicos, e não tanto pelas capacidades.

Entra aí a importância de se conhecer e de saber o que você pode comunicar de bom.

Sua personalidade profissional é o que vai ditar suas escolhas.

Você é mais incisiva? É flexível? É aberta ao novo? O que você quer contar com a sua imagem? Pense no que é importante pra você. E não no que chama a sua atenção no visual da colega, sabe? Ela é outra pessoa. E se o visual dela funciona e impacta positivamente é porque é sincero e verdadeiro.

Pense em como você é vista. E como quer ser vista.

Outro ponto importante é: preste atenção aos detalhes.

A roupa pode ser básica, simples, até previsível. Mas, como você adorna? O que você usa como acessório? Pode ser um blazer tradicional de três botões, mas em tecido diferenciado. Ou então uma calça risca de giz, combinada a um sapato com estampa de oncinha. Ou mesmo uma camisa de seda que você usa com um lenço.

Acredite no potencial da sua personalidade. Aquilo que conta sobre quem você é.

Características como criatividade, por exemplo, são interessantes em quase qualquer ambiente profissional. Ainda mais nos dias de hoje.

De olho nos códigos profissionais

Pense nos códigos do seu ambiente profissional. Cada profissão tem os seus. É obrigatório, ou recomendado, o uso do branco? Ou é essencial calçados confortáveis? O que a sua rotina de trabalho pede, por um motivo prático ou social?

Hoje a moda oferece uma ampla gama de possibilidades para a mulher que quer construir um visual marcante e profissional, sem precisar se fantasiar.

A roupa nunca vai fazer de você mais capaz, melhor, ou mais inteligente. Mas, vai te dar confiança para que você demonstre e apresente melhor seu know-how. Seu conhecimento e suas aptidões.

Anotou? Conheça os códigos da sua profissão, salpique, na sua imagem, elementos da sua personalidade e do seu estilo; e vista-se com constância e coerência.

No YouTube

Os segredos da sensualidade

A sensualidade por vezes é própria de uma pessoa. Mas, as roupas desempenham um importante papel na construção de um visual sedutor. Com isso, toda e qualquer mulher pode se sentir provocante com as escolhas certas.

O sexy, nas vestimentas, muda a nossa linguagem corporal. Afeta, diretamente, nossa maneira de nos comunicar com o mundo.

É um efeito que surge de fora para dentro.

A roupa que estimula

Pode ser que, quando mal utilizado, o visual sensual gere desconforto e insegurança. É o caso de meninas que tentam se sentir mais maduras e provocantes com calçados de salto alto, ou com decotes profundos, e acabam ficando sem lugar, sem graça e sem charme.

Falo daquele caminhar incerto, ou do incômodo com o corpo revelado.

Ou, pode ser, que a menina séria e tímida se sinta um furação com uma transparência velada, um calçado de bico fino, e um cabelo em rabo de cavalo.

Sensualidade é questão de sutileza. De provocar e excitar.

São muitos os elementos que evocam ao sexy. Muito além do decotão exagerado. Da saia mini. Do vestido tubinho e justíssimo. Estes, aliás, são exemplos de sensualidade clichê. Que não impacta da maneira que pode ser.

Sexy, sem ser vulgar

O sexy, quando utilizado com sabedoria, passa longe do vulgar. É mais uma questão de provocação. De gerar desejo. De atiçar a curiosidade. De convidar o outro a se demorar na observação, e vagar os olhos por um corpo estrategicamente coberto – ou revelado.

São linhas, texturas, recortes, formas que instigam a imaginação.

Seduzir é um jogo. E, assim como diz Toby Fischer-Mirkin, em O Código do Vestir, “o mais sexy é o misterioso e o oculto”.

Ao pensar assim, o que chama atenção não é o que já foi revelado. É o que está, em partes, escondido. É o que gera dúvida e excitação.

“A mensagem expressa na moda sedutora deve ser sussurrada e não gritada. Qualquer roupa que exiba o corpo muito obviamente perde sua atração, – porque quando se perde o mistério, também se perde o interesse”, completa  Toby Fischer-Mirkin

O guia definitivo para o look sexy

Mais importante que apostar nas peças sensuais da temporada, é conhecer o próprio corpo e saber o que – e como – valorizar. Cada mulher tem seus atributos, a parte que considera mais envolvente ou sensual. Daí, o importante é destacar essa parte em questão para gerar confiança e provocação.

Erra quem pensa que apenas o bumbum e os seios são sensuais. Pernas, colo, braços, costas, pescoço e linha de cintura são apenas algumas das outras porções da silhueta feminina que provocam desejo. A sensualidade feminina não precisa ser óbvia.

Imagine setas invisíveis. Direcionamentos. As coxas, por exemplo, quando mostradas em uma peça com fenda, ou um tecido fluido, que brinca de revelar e esconder as pernas, remete ao que há mais para o alto, quando o olhar do expectador segue a linha vertical. Da mesma maneira, um longo decote nas costas serve quase que como uma seta para o bumbum.

Um corpo que quase se revela

As linhas das roupas podem criar trajetos visuais para o olhar de quem você deseja atrair – ainda que seja um personagem desconhecido. Linhas angulares e assimétricas conseguem produzir tal efeito muito bem! Um decote, ainda que modesto, em V, com o colo a mostra, brinca que é possível ver um pouco mais, se puxar a peça para baixo. Sabe? É o perigo. O risco existente em mexer um pouco na roupa. A expectativa de que a roupa saia do lugar… de que algo aconteça. Mas, não acontece.

Os seios são, definitivamente, o ponto de maior sensualidade do corpo feminino. Mas, não precisam ser exibidos por completo para atrair olhares.

Aliás, quando muito (ou tudo) é revelado, sem mistério, a graça se vai. Já está ali exposto. Cria-se a ideia de que foi fácil, então não há muito mais para ver.

O decote pode mostrar apenas as curvas dos seios. Ou, mesmo, um tecido que de tão fino revela os desenhos das curvas.

Entre as mensagens ocultas da moda, pode-se haver a sensação de que a mulher que mostra todo o corpo, sem mistério, considera sua própria silhueta o seu maior atributo! E, assim pode ser, tudo bem. Há méritos. Mas, para quem não quer ser assim interpretado – o mesmo para os homens – equilibrar as mensagens pode ser interessante.

Pura atração

Entre o corpo velado e o corpo exposto, há um jogo de provocação e intimidação, que desencadeia na sedução e na tentação.

Cada parte do nosso corpo seduz de uma maneira diferente. Ao mostrar os seios, há a sensação de poder feminino, em uma parte do corpo que alimenta e conforta. Já o bumbum, também traz consigo o poder, de um ponto que remete à fertilidade, procriação e, claro, ao sexo.

Braços, costas e ombros nus trazer consigo a ideia da força, que para alguns homens pode ser intimidador. Aí está que a forma de exibir, entre um corpo frágil e um corpo sarado, muda os seus devidos efeitos.

O rabo de cavalo carrega consigo a ideia de um símbolo fálico, o sexo e a ousadia. Já nos lábios em vermelho intenso, a sensação de que algo é perigoso e arriscado, como o sangue.

Mensagens ocultas

Igualmente importante como o jogo de mostrar e exibir, está o uso de tecidos e acessórios! Nos elementos com pontas, em couro, verniz, 5vinil, ou outras texturas que remetem ao fetiche, a ideia de que está permitido se envolver. É o perigo que atiça a curiosidade.

E na renda, no tule, nas transparências de maneira geral, o chamado a admirar a lingerie, o convite ao que está por debaixo da roupa.

Muito além do óbvio, do decote exagerado, do vestido colado, do corpo meramente nu, está a moda com suas possibilidades. As roupas com suas mensagens ocultas.

Para seduzir

Tecidos

Os que remetem à certos tipos de fetiche, como couro e vinil, e os que lembram peças de lingerie, como renda e tule. A seda, maleável, brinca de mostrar as curvas, sem revelar. Já os com elastano (lycra), entre outros tecidos colantes, exibem as curvas.

Acessórios

Peças e calçados com pontas lembram do que é perigoso. Já as franjas, a meia-calça e os cintos grossos, e apertados, estão carregados de sensualidade. As correntes e as botas remetem a praticas fetichistas.

Detalhes

O zíper mostra algo que pode ser alcançado, bastando um único movimento. Os ombros e colo a mostra destacam a nuca, um local do corpo importante na sedução. Recortes na linha de cintura, ou quadril, revelam pouco, mas em pontos com muito significado. Pés a mostra, em sapatos de tiras finas, além de gargantilhas grossas também carregam alto tom de sensualidade.

Sempre sexy

Fendas, decotes profundos em V, costas a mostra, decote de um ombro só, decote ombro a ombro, comprimento mini, saia lápis, transparência, lingerie a mostra, cintura alta, recortes, cabelo em coque soltinho, unhas longas.

Seja como for, o importante no vestir para seduzir é a confiança e a certeza de sentir o poder e a força que as roupas certas, utilizadas da maneira certa, podem trazer. 

Confira mais

Precisa de ajuda para organizar o guarda-roupa e realizar boas compras de roupas e acessórios? Me escreva no amanda@amandamedeiros.com.