Blog

Pra Usar o Boyfriend Jeans

Antes tarde do que nunca, o boyfriend jeans anda aparecendo por ai. Depois de virar febre entre as celebridades gringas isso à duas décadas atrás ele começa a aparecer, mesmo que de forma tímida, nos shoppings, cinemas, faculdades e lugares onde existem mulheres joviais e com pegada fashionista – daqui a pouco dominam as ruas. É o tempo da moda. Parece que algumas vezes as tendências demoram um pouquinho mais do que o normal para pegar, ainda mais quando a peça, de certa forma, esconde a sensualidade feminina e joga com as proporções que já foram cristalizadas por ai (leia-se quadril e busto sempre em voga).

Nós nos acostumamos a valorizar de todo jeito as curvas do corpo, esquecendo que as vezes acontece de uma roupa larguinha ou soltinha ser muito mais interessante aos olhos masculinos. Mas em alguns casos brincar com volumes pode ser muito interessante! E diferenciado.

Antes de tudo, não confunda jeans boyfriend com jeans largo e velho. Calma lá. O modelo é caracterizado por gancho rebaixado (tipo um saruel contido) barras dobradas, lavagens, puídos (ocasionalmente) e bolsos grandes. Mas a peça não é gigante e nem é larga na cintura, por exemplo; o jeans deve ter cós marcado para que o gavião baixo não vire roupa tipicamente de homem. As pernas não precisam e nem devem ser super largas… da mesma forma que a barra não é pra ser usada, necessariamente, dobrada. O jeans boyfriend permite variações.

Se você gosta da ideia do tal jeans boyfriend, mas sente que a peça irá achatar a sua silhueta, vale investir no visual monocromático, ou pelo menos de tons próximos. Se você sente que a calça é masculinizada demais, a dica é combinar com outras peças super femininas que podem ser saltos, tops com detalhes de fita/renda/bordado ou mesmo cores mais comuns no guarda-roupa das mulheres – como é o caso do rosa, roxo ou tons pastel. Se você acha moderninho demais misture a peça com itens mais clássicos, como é o caso do blazer, cardigan ou mesmo camisetas basiquinhas pra dar um toque mais dia-a-dia ao visual. Agora se você sente que é a sua chance de brincar com o masculino x feminino vale jogar com transparências, decote ou pele de fora na porção superior do corpo – mas cuidado para não perder a mão nessa brincadeira de sensualidade.

As mulheres magrinhas e altas podem pirar com a calça boyfriend, reforçando as curvas da silhueta com linhas verticais na porção superior ou mesmo com sobreposições que criam a ilusão de uma silhueta mais cheinha – porque existem mulheres que se sentem magras demais, e dariam tudo para ganhar uns quilinhos. Já as que sofrem com culote ou coxas grossas (oi?!) podem disfarçar o efeito com um jeans em tom escuro, mais larguinho, e blusa mais justinha – provando que de gorda você não tem nada (adoro!).

E, por fim, não acredito que seja uma peça que super vale um investimento gigante. Comprar um jeans boyfriend super grifado e de preço alto pode ser algo complicado… as vezes é melhor apostar num mais baratinho e, caso você ame, garimpar um baphonico mais tarde. Mas é questão de gosto. Só é bom tomar cuidado com essas peças de modinha… que daqui pouco tempo já ficam ultrapassadas. Há de se pensar, sem medo de usar.

Evitando o Erro nas Compras Virtuais

Uma dos motivos mais fortes do meu amor às lojas virtuais é a possibilidade de pensar e refletir à exaustão antes da compra, evitando decisões precipitadas ou realizadas no impulso. Gastar por aflição ou carência é sim possível no mundo virtual, mas aquele tempo que você gasta indo buscar o cartão de crédito ou pensando no pagamento do boleto já é mais do que suficiente para que ocorram mudanças de opinião. Porque com um mundo de lojas virtuais à nossa disposição, já que elas estão aumentando muito aqui em terras brasileiras, parece que você se sente seguro por na hora que quiser, no dia que for melhor, fazer suas compras sem ter que dar satisfação a ninguém. Além de todas as vantagens que já citei aqui em outros posts (de comodidade à inexistência de vendedores chatos) existem aquelas outras que todo mundo pensa, mas ninguém fala a respeito. Quais?! A chance de parcelar em mil vezes sem ter que ficar envergonhada, a possibilidade de comprar as coisas mais bizarras sem ficar sem graça, a alegria de receber encomendas pelo correio, a chance de exagerar nas compras sem parecer uma louca consumista aos olhos dos outros clientes das lojas ou mesmo a sensação de que você pode fazer o que quer na hora que quer. E não falto só sobre roupas… pense em livros, vinhos, coisas de farmácia ou mesmo chocolates… vergonha zero, mas possível arrependimento depois – pelos gastos ou mesmo pela inutilidade/exagero das compras.


Então a dica é. Antes de fechar a compra, pense duas vezes. Dê uma voltinha pela casa, assista tv, jogue uma paciência ou tome um banho. Esses 10, 15 minutos podem lhe poupar um gasto inconsciente. Ligue para uma amiga, converse com sua mãe… vá a padaria ou faça qualquer coisa que lhe afaste daquela empolgação louca que te leva ao erro. Se seu desejo de compra continuar latente após esse momentos de abstração, vá frente e aguarde com calma a visita do carteiro.

A Tríade da Beleza

Três coisas simples são indispensáveis à beleza diária de toda e qualquer mulher. Blush, gloss, rímel. Básico assim. Demorei muito até me adaptar a essa rotina e hoje já não sei mais sair de casa sem, ao menos, a dupla blush e rímel – porque tenho os olhos sensíveis e rímel não rola nas futilidades, como domingo de bodação em casa. Alguém conhece um rímel que não ataca os olhos pra quem sofre com altas alergias?!


Pois então. A importância dessa tríade já era velha conhecida minha e da maioria das pessoas, não?! Mas hoje lendo a Elle do mês de junho, na matéria ‘Às Boas Compras’, porque sim, estou atrasadíssima nas minhas leituras me deparei com o maquiador Evandro Ângelo falando que estes produtos são investimentos que valem um pouco mais, merecendo um gasto um pouco maior. Fato! E digo que não é o tipo da coisa que precisamos ter várias… um só rímel, bom, já funciona super bem! As variações e opções de mil cores são pros viciados em make… mas pra vida de todo dia apenas um produto de cada, em bom estado de conservação, já dá mais do que o resultado esperado.

falei aqui sobre como escolher o tom de blush mais adequado a sua pele; o rímel deve acompanhar a textura de seus cílios, sendo que os mais finos pedem um produto mais encorpado enquanto os naturalmente grossos precisam apenas de algo para separar os fios e alongar; já quanto ao gloss não imagine aquele grudento e molhado, pois a ideia é algo que num tom compatível ao de sua boca dê um certo brilho acetinado aos seus lábios. Só isso.


Então tá. Após acordar, tomar banho, lavar rosto e hidratar a pele incluam o kit rímel, blush e gloss e vejam o quanto a aparência ganha. Um rosto vivo, com cara saudável, olhar marcante e boca bacana já é um grande passo para um dia de grandes elogios. Porque tudo o que a gente quer é se sentir bonita, sem esforços exagerados.

Só pra Constar, D&G

Muito bacana essa campanha da D&G, não?! É para o inverno 09/10. Interessante o contraste entre o tecido jogado no sofá e o tom da roupa da pessoa que está sentada… bacana as poses, sendo que nas fotos 1 e 4, contando no sentido horário, homens e mulheres dividem as mesmas posições, como se jogando com aquele efeito espelho que é quase perfeito nas imagens em questão. Vale observar ainda o trabalho com peças semelhantes, usadas entre homens e mulheres, e a forma com que tudo parece igual e diferente ao mesmo tempo.

Estou aqui olhando e olhando… tipo brincando de jogo dos 7 erros – procurando detalhes que ainda não percebi nesse mundo de coisinhas pra observar.

Bom, as fotos são de Mario Testino e os modelos são: Sara Blomqvist, Philipp Bierbaum, Katie Fogarty, Danny Schwarz, Hanna Rundolf, Jakob Hybholt, Stepahie Rad, Ragnhild Jevne, Issa Tomaleh e Corto Boutan. Ufa.

Clica aê pra ver tudo grandinho!

Boas Compras na C&A

Fazer boas compras em redes de fast fashion pode ser uma missão quase que impossível. As peças são bonitinhas demais quando olhadas de longe, no entanto a mínima aproximação coloca em voga tecidos ruins, estampas mal feitas ou descoradas e fios soltos – sem contar os probleminhas de modelagem que aparecem dentro do provador. A roupa dificilmente veste super bem. Mas, milagres acontecem e entre as araras loucas boas aquisições podem surgir.


Revirei rapidamente a C&A em busca de encontrar boas razões para passar mais tempo ali dentro. Além de achar a loja desarrumada me deparei com caixas extremamente lentos e atendentes que ao invés de ajudar atrapalham. Foi só azar meu ou as coisas realmente funcionam assim?! Faz bom tempo que não dou carinho e atenção à loja.

Bom, voltando aos milagres… eles acontecem. Comprei um cardigan idêntico aos da Zara por R$29,90, e só não comprei outros porque não tive tempo para caçar variadas opções – e a atendente não sabia o que era cardigan. Oi?! Comparando composição, textura, corte e tudo mais cheguei a conclusão de que a peça era muito parecida ou igual às que costumo comprar na outra loja de fast fashion mais refinadinha, por R$69,90. Oh momento de felicidade! Se bobear até mesmo a confecção é a mesma made in China, sendo que o produto é importado e a gente já viu nesses documentários como as coisas funcionam.
Minhas considerações são as seguintes. Não espere alta qualidade, pois você não vai encontrar. Até mesmo as peças tidas como perfeitas apresentam falhas no acabamento, que podem piorar com o tempo. Mas esse é o preço que se paga por comprar barato. Então, veja bem… esse preço é justo para o valor da peça?! Algo barato pode ser de certa forma descartável, e merece espaço no guarda-roupa. Agora… uma roupa cara com qualidade péssima deve ser esquecida. Quanto é caro?! Isso é relativo. Eu, por exemplo, não vou nem ligar se o meu cardigan baratíssimo estragar. Ah! Importante citar que o preço original era R$69,90, mas estava com desconto e grade furadíssima.

Continuando. Observe a aparência da roupa em questão. Não é porque ela custa pouco que ela deve ter uma cara pobre ou simplória… o objetivo é poupar e se vestir bem! Aha! E é possível, trabalhando com esse mix de lojas com preços bons aliadas à super marcas em liquidação – sem carregar um visual ultrapassado.

Tenha paciência. Geralmente as melhores compras não são as da vitrine… são as que estão escondidas nas araras, como foi o caso desse cardigan super baratinho. Olhar de perto e com cuidado a peça é algo que faz toda a diferença. E as peças expostas são muito datadas, marcadas… são carro chefe da coleção e, talvez por isso, você vai enjoar delas num piscar de olhos. E vendo o tecido das camisas xadrez que as super tops desfilam na propaganda, da C&A, eu tive quase que total certeza de que eles fazem mesmo as peças em material/corte de alta qualidade apenas para filmar e fotografar. Não quero afirmar nada pra não me comprometer… néam?! Mas aceito explicações!

No geral acho que com boa vontade, perspicácia e mente aberta boas pechinchas aparecem – seja na C&A, na Renner, na Zara ou TopShop (pras que viajam sempre). Mas admito que fiquei muito desanimada com a linha do Re
inaldo Lourenço… se for tipo o que ví hoje… não sei não
vou é passar raiva e birra o tempo todo.